Ortodontia

A correção da posição dos dentes não é simplesmente uma questão estética. Os dentes mal posicionados podem causar cáries e problemas gengivais, isto ocorre devido à dificuldade que os pacientes têm em manter a higiene bucal. Muitas vezes é impossível fazer uma boa escovação, ou mesmo passar fio dental entre os dentes situados em posições de difícil acesso. Nestas condições o aparecimento da Cárie é simplesmente uma questão de tempo. A decisão por um tratamento ortodôntico deve sempre ser tomada de comum acordo entre o dentista especialista na área e o paciente que necessita do tratamento. Após o inicio o tratamento o mesmo não deve ser interrompido, um tratamento ortodôntico interrompido pode deixar a situação mais complicada do que era inicialmente. tem aparelhos ortodônticos fixos que permanecem aderidos aos dentes e aparelhos removíveis que são tirados da boca durante as refeições e para higienização. Ambos os aparelhos exigem muita cooperação do paciente para que o tratamento tenha o sucesso pretendido. Frequentemente os especialistas utilizam as duas alternativas dependendo da fase em que o tratamento se encontra. Os aparelhos exigem do paciente cuidados especiais, os quais são transmitidos pelo profissional por ocasião da instalação dos mesmos.

Aparelho fixo
Este tipo de aparelho é fixado aos dentes através de uma pasta adesiva ou cimento. O aparelho é composto por bráquetes (metálicos, plásticos ou cerâmicos), tubos e anéis, que suportam o arco metálico responsável por facilitar a movimentação dentária e não é necessário ajuda do paciente.

Aparelho removível
Este aparelho é moldado para encaixar na boca do paciente, podendo ser removido pelo paciente ou pelo ortodontista. Neste caso a ajuda do paciente no tratamento é fundamental. Neste caso se realiza pequenas movimentações dentárias, utilizadas nas correções de alterações esqueléticas (ósseas). Hoje em dia existem aparelhos fixo e removíveis como os de cerâmica, que são quase transparentes e é melhor escolha para quem é muito vaidoso, pois as peças de suporte se confundem com a coloração do dente.

Tempo de uso
Não existe uma forma exata de determinar o prazo que se deve usar o aparelho odontológico. O especialista pode estimar uma prazo que pode variar para mais ou para menos. Alguns fatores biológicos, tipo do aparelho, manutenção, visitas ao dentista, cuidados e limpeza podem influenciar para que o aparelho odontológico e de acordo com a experiência na área da Ortodontia. Prever o tempo de um tratamento ortodôntico é difícil, pois este depende de vários fatores, como respostas biológicas individuais, tipo de má oclusão, tipo de aparelho utilizado e colaboração do paciente. Um tempo médio é de vinte e quatro a trinta meses de tratamento ativo.

Idade para início do tratamento
Não existe idade máxima nem mínima para a realização de tratamento ortodôntico. Porém, os pacientes já na fase adulta devem tomar alguns cuidados especiais, principalmente em relação a gengiva (tecidos moles de suporte dos dentes) que podem chegar a contraindicar o tratamento devido a fragilidade de desencadear problemas periodontais. Hoje em dia uma das filosofias do tratamento ortodôntico é a correção da má oclusão desde a dentição decídua (dentição das crianças), caso seja necessário, é chamada de ortodontia preventiva, pode ser acompanhada ou não da ortopedia funcional dos maxilares.

Manchas
Para evitar manchas nos dentes, cáries ou gengivites (inflamação nas gengivas), é necessário uma escovação rigorosa do aparelho e dos dentes. Cuidados com a alimentação são imprescindíveis. O açúcar entre as refeições e alimentos duros como: torradas, pipocas, amendoins, torrones, devem ser evitados; assim como, as gomas de mascar que podem danificar os aparelhos.

Hábitos Nocivos
Chupar dedos ou chupetas, morder lápis ou canetas e roer unhas, normalmente implicam em atrasos ou mesmo na alteração do tratamento planejado. É importante lembrar que após a instalação do aparelho, a cada visita ao dentista, será necessário um ajuste do mesmo. Este ajuste pode ser um pouco incômodo, porém logo o paciente começará a perceber os resultados, podendo avaliar o progresso do tratamento.