Endodontia

800px-Root_Canal_Illustration_Molar.svg

A Endodontia, é uma especialidade da Odontologia que trata do estudo e tratamento do endodonto. O endodonto é formado por toda a polpa dentária e canais radiculares e periapicais. Popularmente, ela é chamada de “tratamento de canal”.
O tratamento de canal consiste basicamente em remover a polpa infectada, limpar, modelar e alargar o canal e preencher o seu conteúdo com um material capaz de veda-lo e assim, impedir que haja uma nova contaminação. A polpa dentária é uma estrutura viva que contém, entre outros elementos, vasos, nervos, células e substância intercelular. Um dente não tratado pode apresentar desde infecções de baixa intensidade e longa duração evoluindo para lesões na região do ápice da raiz, até infecções de alta intensidade, dor aguda, com evolução rápida para abscessos.

Um dente necessita de tratamento de canal quando:
A polpa vital se apresenta inflamada, com dor espontânea (pulpite) em decorrência da exposição da dentina por cárie profunda, fratura da coroa, retração gengival, etc;
A polpa perde a vitalidade (polpa necrosada) e compromete a estrutura que envolve a raiz, provocando inflamação da membrana periodontal e do osso de modo assintomático (granulomas e cistos).

O tratamento de canal em si, ao contrário da crença popular, é indolor. Quando a morte da polpa já ocorreu, ela obviamente não dói. A dor só ocorre justamente quando não é realizado nenhum tratamento, pois a inflamação provoca edema (inchaço) que comprime as terminações nervosas.
Com relação ao dente tratado, embora o dente não contenha mais a estrutura vital no seu interior (a polpa), o dente é envolvido em toda a sua superfície externa por um ligamento vivo (membrana periodontal), permitindo que esse elemento dental continue a executar suas funções normais sem nenhum prejuízo. O tratamento também não enfraquece os dentes. O que causa enfraquecimento dos dentes é a perda da estrutura dental causada geralmente pela cárie que, por sua vez, leva o dente a necessitar do tratamento de canal.
Quando o tratamento de canal anterior não foi bem executado por algum motivo (dificuldades anatômicas, raízes com curvaturas acentuadas, canais calcificados etc., ou quando o dente não foi devidamente restaurado, pode ocorrer a recontaminação do canal pelas bactérias presentes na saliva, levando a necessidade do retratamento.
O custo do tratamento endodôntico, também ao contrário do imaginário popular, é relativamente baixo, pois a perda do dente e conseqüente substituição por prótese ou implante teria custo muito superior.